Tricologia responsabilidade como profissional

Quero  compartilhar com vocês o meu pensamento referente à Tricologia, quanto à nossa responsabilidade como profissionais.

Você provavelmente não gosta de alguma parte do seu corpo e já reclamou dela para alguém, que te devolveu a seguinte fala: “Imagina, só você enxerga isso, não é nada demais! Já eu, olha aqui…”, e a pessoa apresenta a queixa dela, que para você não tem relevância alguma.TRICOLOGIA

Pois é, quando falamos de ESTÉTICA, o que para uma pessoa não tem a menor relevância, para outra pode custar cirurgias plásticas, procedimentos caros, e anos de terapia.

Você também já deve ter visto alguém colocando silicone, por exemplo, quando, aos seus olhos, ela deveria era operar o nariz!
Mas eram os seios que a incomodavam, não era o nariz! Por mais que pra você estivesse “na cara”.

Nunca, NUNCA diga a um paciente/cliente que te procura, coisas do tipo: “Isso é coisa da sua cabeça, seu cabelo está normal! Mas olha sua pele, está pedindo uma limpeza!”

Você perde ali a confiança dele. Se ele te procurou, se ele está investindo tempo e dinheiro em você, é porque alguma coisa está errada, alguma coisa o incomoda.

Não negligencie nunca uma queixa! Se ele diz que o cabelo está caindo muito, não diga: “100 a 150 fios por dia é normal! Você já contou quantos caem? Comece a contar e depois volte aqui”.

Não! Se antes não caiam nem 10 fios, 150 não é normal! Não para ele! Aliás, essa contagem é uma estimativa muito variável, não a use como conduta frequentemente.

O que eu acredito é que nós, profissionais da Estética, Saúde e Beleza, temos que cuidar da autoestima da pessoa que nos procura como um bem muito precioso. Porque é! Para ela é!

alopecia

Uma pessoa com a autoestima baixa não se relaciona bem com o outro, não trabalha bem, não produz, não contribui para a sociedade. Porque ela se esconde. É nosso dever ajudá-la.

O cabelo é, na minha opinião, o atributo de beleza mais importante para pelo menos 90% das pessoas do mundo todo. Ele diz muito sobre quem você é e o que você gosta.

Nós sabemos que quando nosso cabelo acorda em um “dia ruim ”, parece que todo o resto do dia dá errado, não é mesmo? Já teve essa sensação?

Pois bem, imagine perde-los?
Coloque-se SEMPRE no lugar do seu paciente/cliente. Busque sentir o que ele sente, olhar a situação com os olhos dele.

Essa é uma forma de NÃO PARAR até atingir a excelência no tratamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?